Arquivos do Blog

O vídeo na web provoca a reflexão ou está fadado à superficialidade?

A interatividade entre o internauta e o conteúdo é o grande barato da  internet. No campo do vídeo na web, há mudanças apenas no que se refere à duração, enquanto nasce uma nova experiência na relação com a imagem propiciada pela web. É sobre este ponto que proponho uma reflexão neste primeiro post do Panorâmica.

VideoReflexao_400

Na web, mais ferramentas disputam a atenção do usuário

Assistir a um filme ou a um documentário na tela da TV ou cinema representa um determinado tipo de experiência sensitiva –  um filme é bom quando ele mexe com nosso interior. O filme não acontece na tela, mas em algum lugar entre a tela e nós mesmos. Sendo mais extremo:  o  filme acontece dentro de nós .

O grande desafio hoje não é usar a web só como um meio de  transferência de arquivos, mas sim como uma ferramenta para que se tenha uma nova experiência sensitiva ao assistir a um filme. Explico.

Múltiplos estímulos

Ao ver um filme na TV ou no cinema, estamos completamente inertes corporalmente diante da tela, e a interação ocorre dentro de nós, como resposta aos impulsos gerados pelo filme. O corpo está em repouso, mas as experiências sensoriais estão em pleno funcionamento, vindas de uma fonte única ( a tela do cinema ou da TV).

Por outro lado, a forma de consumir vídeo costuma mudar quando se está diante da web. É comum o internauta executar várias ações simultaneamente enquanto assiste a um vídeo na rede (vê TV, ouve rádio, escreve no word e conversa no MSN, por exemplo). Em outros termos, ele não para quieto, como se diz popularmente e não se  consegue ter uma experiência sensorial como a do cinema.

Questões para pensar

Que mudanças isso representa na absorção e interpretação do vídeo que vê?

Mais: será possível que um dia possamos ter, na web, uma experiência sensorial mais profunda (no sentido da entrega pessoal diante do conteúdo, menos dispersa), similar à que se costuma ter principalmente com o cinema?

Que reflexões os produtores de vídeo – ou sites, portais e demais veículos de comunicação – podem tirar dessa nova forma de as pessoas  interagirem com as imagens?  O conteúdo em vídeo precisará ser repensado em função disso? De que maneira?

Será possível aliar a interatividade e o espírito multitarefa facilitado pelas novas tecnologias a uma experiência sensorial profunda com o conteúdo visual?

Quem sou eu para dar respostas a essas perguntas – prefiro aqui lançar a dúvida, a interrogação.

O que estou seguro é que   alguma mudança ainda virá no infinito, fértil  e maravilhoso mundo virtual.

Vi aqui

Anúncios

Vídeos Evangelísticos para o ConhecerDeus.org.br

Esses são dois vídeos evangelísticos que a nossa equipe produziu para o ‘ConhecerDeus.org.br’, site que em breve será lançado pela Sepal:

O Caminho –

Carta de amor do Pai –

%d blogueiros gostam disto: