Arquivos do Blog

Dica: Banco de imagens para igrejas

lightstock

LightStock é mais do que um banco de imagens e vídeos. É um ministério montado pelos irmãos Jon e Josh Bailey.

Um dia os irmãos, filhos de pastor, começaram a se incomodar com os visuais que o pai usada nas pregações, que geralmente era algum azul genérico de fundo e um texto amarelo. A partir de então começaram sua caminhada em ‘ministério de comunicação’, primeiro ajudando o pai a criar melhores visuais, depois criando um serviço de criação de Power Points que chegou a alcançar 5.000 igrejas – Graceway Media.

Mas, com as mudanças rápidas no mundo da web, os ministérios têm que estar preparados para mudar também. A equipe Graceway Media percebeu que a necessidade das igrejas não era mais visuais pré-montados, mas recursos para permitir que a própria igreja pudesse se engajar neste projeto e produzir seus materiais. Foi assim que em 2012 nasceu o ministério LightStock, um banco de imagens e vídeos de ótima qualidade, focado no tema ‘fé’, com materiais originais e criativos e com o mesmo custo de outros bancos de dados. Um ótimo recurso para o ministério de comunicação da sua igreja!

E você, tem alguma dica para ministérios de comunicação? Ajude nossa comunidade, compartilhe nos comentários!

Como usar Outdoors para a sua igreja

Outdoors têm sido um marco na indústria de marketing por muitos anos. Eles são eficazes e acessíveis. Outdoors ajudar as empresas a passar a sua mensagem e eles podem fazer o mesmo para a sua igreja.

O que não fazer

Apesar de outdoors poderem ser utilizados como uma ferramenta de marketing eficaz da igreja, há certamente algumas maneiras erradas de fazer estes cartazes.

Não seja chato – Outdoors normalmente funcionam melhor quando transmitem uma mensagem simples e concisa. Os líderes da Igreja muitas vezes cometem o erro de tentar colocar mensagens longas em outdoors e se esquecem de mantê-los simples. No entanto, muitas vezes as igrejas confundem simples com chato. Essas duas coisas não são a mesma coisa e ainda é possível ser criativo, mantendo-o simples ao mesmo tempo. Aqui é um exemplo perfeito da Igreja de Times Square, que demonstra como um outdoor de igreja pode ser simples, além de ser criativo e poderoso.

Outro erro comum que fazemos quando tentamos espalhar a mensagem da Bíblia através de marketing é a falta de consistência. Cada outdoor não precisa ser o mesmo em uma única campanha, mas a mensagem global deve ser coerente e trabalhar em conjunto para reforçar uma única ideia. Um dos maiores pontos fortes do cartaz publicitário é a capacidade de reforçar uma única mensagem. Esta característica é ideal para o marketing da igreja, pois ele pode ser utilizado para alcançar aqueles que procuram respostas em suas vidas, convidando-os a olhar para Jesus e para a Bíblia. Apesar de outdoors podem ser um ponto de partida, influenciando as pessoas a atravessar as portas da igreja local. Por exemplo, uma igreja que está promovendo um programa de alcance social através de uma plataforma de mídia social como o Twitter também pode colocar cartazes em torno da cidade que exibem o nome do programa, juntamente com a hashtag que corresponde à sua campanha de mídia social. Isto não só irá fortalecer o reconhecimento do nome da igreja, mas também atrair mais visitantes para a campanha de mídia social. Aqui é um ótimo exemplo de uma campanha de Cedar Creek Church que usou cartazes para direcionar o tráfego para uma campanha online.

Outdoors não são completamente fora do alcance de igrejas menores, com orçamentos menores. Como uma igreja pequena, você provavelmente não tem orçamento para comprar vários outdoors pela cidade, assim você pode precisar fazer uma vaquinha e investir em um único outdoor bem colocado. Se você tiver apenas um outdoor a importância da localização é muito grande. A chave é ter o máximo de visualizações. Fazer algo ousado pode aumentar ainda mais o impacto do seu cartaz.  Você corre o risco de publicidade negativa, mas há também oportunidade para alta recompensa, incluindo a atenção da mídia nacional. Outra opção é pensar menor. Você pode direcionar opções de publicidade ao ar livre menores, tais como bancos, pontos de ônibus da cidade e do aeroporto ou shopping. Você pode ver um exemplo deste tipo de campanha aqui.

Outdoors podem ser usados como uma poderosa ferramenta de marketing para reforçar a mensagem de sua igreja. Como acontece com qualquer meio de marketing, há boas e más maneiras de utilizá-los. Espero ter dado algumas soluções e ideias úteis para a sua igreja!

E você, tem alguma ideia interessante para compartilhar com a gente?

 

Fonte: http://www.churchmarketingsucks.com

4 dicas para fazer bons vídeos com pouca verba

videos-caseiros

Os video makers profissionais não vão gostar destes conselhos, mas a realidade é que muitos ministérios de comunicação não têm verba e precisam fazer o melhor de seus poucos recursos. Se este é o seu caso fique tranquilo, é possível fazer coisas bem legais com a câmera do seu celular e o Windows MovieMaker ;).

Aqui estão alguns exemplos de vídeos simples e bem feitos para te inspirar (fonte http://www.churchmarketingsucks.com):

River of Life Church – Albany, N.Y.
Boundless Grace Baptist Church – Avoca, Ark.
Metro Church – Rogers, Ark.
Beaver Lake Baptist Church – Beaver Lake, Ark 

Já está inspirado? Então veja 4 dicas para você fazer o mesmo na sua igreja:

  • A equipe é o mais importante

Sobre softwares, a verdade é que não importa muito o que você usa se a sua habilidade é de iniciante e o objetivo é criar um aviso de simples. O que importa é o que você tem disponível na vida real – e a criatividade! Você provavelmente não conseguirá imitar os efeitos que vê na televisão, ou em vídeos super produzidos, mas as limitações tendem a encorajar nossa parte criativa a trabalhar mais. Sente com a sua equipe, faça um brainstorm e esteja aberto para novidades. Não da para fazer comunicação sozinho! Uma pessoa não consegue ter boas ideias toda hora, mas um grupo sim! Quanto maior e mais diversificada for a sua equipe, melhores serão as ideias.

  • Aproveite o que é de graça

O avanço rápido das tecnologias nos obriga a pesquisar continuamente, principalmente se você trabalha com comunicação. As informações são infinitas, não entre na loucura de querer saber tudo sobre tudo, escolha os fóruns com maior participação, os blogs mais relevantes e sempre de uma passadinha por eles. Reserve tempo semanalmente para este tipo de pesquisa e nunca pare de aprender! Existem também centenas de sites que oferecem conteúdos grátis legalmente. Desde softwares, músicas, pequenos vídeos, motion grafics. Nós sempre damos algumas dicas legais aqui no blog, mas pesquisando no Google você pode achar muito mais! Estes recursos podem enriquecer seu vídeo e tirar aquela impressão de ‘fiz em casa’.

  • Planeje muito

Não importa se você está fazendo uma superprodução ou gravando com o seu celular, sem planejamento o trabalho será dobrado e dificilmente sairá algo realmente legal. Pense na luz do local, nos barulhos que podem ter – desde carros tocando funk ao zumbido do ar condicionado-, repare se não há imagens ou movimentações no fundo que podem chamar mais atenção do que o que você está tentando mostrar com o vídeo. Para passar a mensagem com eficácia, você precisa evitar distrações sonoras e visuais, e para isto é preciso planejar bem todo o processo de gravação e edição.

  • Provoque interesse

Hollywood gasta milhões em produção para provocar o interesse das pessoas. Mas vídeos de gatinhos tomando banho alcançam o mesmo interesse no youtube, sem nenhum gasto com produção. Assim, o seu vídeo também pode ser interessante, mesmo com pouca verba. Para saber o que chamará a atenção das pessoas que você quer alcançar, primeiro você precisa conhecê-las. Qual a idade delas? Quais os interesses? O vídeo inspirativo usado para a reunião de senhoras, dificilmente terá o mesmo efeito em uma reunião de adolescentes. Aconselho fazer uma pesquisa – talvez em forma de quebra-gelo ou como  um questionário no facebook – para descobrir quais são os interesses do grupo para o qual você comunica: programas de tv, filmes, músicas, sites…

 

O que achou? Tem alguma outra dica? Compartilhe nos comentários 😉

 

Joice Atique

Dicas para Melhorar a Comunicação na sua Igreja

comunicacao-igreja

Não adianta investir na área de comunicação da sua igreja, conseguir voluntários, abrir contas em todas as redes sociais, mudar layouts e logos, se você não sentar com a sua equipe para planejar antes!

Mas como começar? Sugerimos duas perguntas que ajudam – e muito:

Quem queremos alcançar?

A resposta ‘Todos!’ não vale!

Que tal começar lendo a declaração de Missão/Visão da sua igreja? Tudo que uma igreja faz deve refletir sua missão. Se a sua igreja, como a maioria das igrejas, tem algum tipo de frase evangelística em sua declaração de missão, converse com os líderes, pergunte quem são os principais alvos evangelísticos da igreja, que projetos já estão acontecendo e quem eles estão alcançando.

Definir seu público alvo é fundamental, pois uma estratégia de comunicação evangelística, por exemplo, irá forçar a sua equipe a desenvolver um sistema de comunicação simples, que prefere se comunicar com aqueles que não estão acostumados com a linguagem e os costumes da sua igreja, tanto na internet quanto no boletim e no púlpito.

Dica: Se vocês usarão um vídeo para dar recados no início do culto, usem uma parte dele para dar informações básicas sobre a igreja para os visitantes. Sim, isso significa que os membros ouvirão várias vezes aquela mensagem, e por isso é tão importante definir o seu alvo! Se as pessoas ‘novas’ são o principal alvo, então é com eles que a igreja precisa falar!

Como é que vamos alcançar o nosso público no fim de semana e durante a semana?

O fim de semana parece fácil, mas sem um plano estratégico que vai virar um caos – Acredite!

Primeiro, defina critérios para decidir o que será falado no boletim, no púlpito e no telão. Alguns critérios podem ser: Vale a pena dar todos os recados da programação semanal? Qual a porcentagem de pessoas no culto a quem esta mensagem se aplica? Se estiver abaixo de 90%, então talvez exista uma maneira mais direcionada de se comunicar com elas.

Um critério importante: O seu site, newsletter e mídia social devem continuar o diálogo que se iniciou no fim de semana, não pode ser algo paralelo ao que acontece presencialmente na igreja. Se o tema do mês é ‘Graça’, todos os meios de comunicação devem ajudar a ampliar é aprofundar este tema.

A palavra de outra na internet é a interatividade! Envolva as pessoas. Não basta passar informações. Inicie diálogos! Através de perguntas, fotos, vídeos… Não há limites! Divirta-se!

 

 
Esta é a nossa dica para quem quer estruturar o trabalho de comunicação da sua igreja.

Você tem alguma outra sugestão para quem está começando? Comente! 🙂

 

Joice Atique

Vacas Roxas

123cow

Um dos meus livros favoritos de marketing é Purple Cow de Seth Godin. O livro gira em torno desta metáfora: se você já viu uma vaca marrom, você já viu todas elas. Mas uma vaca roxa, isso prenderia a sua atenção. Uma declaração no livro tem implicações profundas: “Se você não é notável você é invisível.”

Toda igreja precisa pintar-se de roxo. Eu não estou falando de truques. Eu não estou falando sobre ser diferente por causa da diferença. Eu estou falando de fazer uma diferença tão marcante em nossas comunidades que não poderão nos ignorar.

Eu tenho algumas de convicções fundamentais:

1)   A boa notícia deve fazer a notícia. Igrejas marrons sentam na linha lateral e convidam a comunidade para entrar nelas. Igrejas roxas estão sempre indo e convencendo. Elas estão fazendo uma diferença tão grande que elas se tornam uma parte altamente visível de sua comunidade. E as pessoas passam pelas Igrejas marrons – Igrejas que são invisíveis – para ir às Igrejas roxas.

2)   A maior mensagem merece o maior marketing. Eu sei que o marketing é uma palavra feia em alguns círculos da igreja, mas mais alguém fica irritado com o fato que a Lojas Americanas é muito melhor em vender suas mercadorias inúteis do que a Igreja em pregar as boas novas?Eu tenho um problema com isso. Precisamos utilizar o marketing para aspectos santos.

3)   A igreja deve ser o lugar mais criativo do planeta. Igrejas são muito parecidas. Precisamos de muitos tipos diferentes de igrejas, porque hámuitos tipos diferentes de pessoas. Cada igreja tem um estilo único e deve ser uma expressão única do evangelho em seu local.

Então, como vamos nos pintar de roxo? Para começar, ouse ser diferente. Você pode ofender alguns fariseus, mas isso não é o que você está tentando alcançar. Em segundo lugar, mude sua rotina. Acho que começa com sua rotina pessoal. Mudança de ritmo + mudança de lugar = mudança de perspectiva. Você precisa sair de sua rotina de modo que você possa ter alguns ‘pensamentos roxos’.

Como líder, você precisa causar confusão. Jesus não fez orientações. Ele fez desorientações. Você precisa encontrar novas maneiras de dizer coisas velhas (veja as parábolas). Você precisa encontrar odres novos. Você precisa cantar uma canção nova. Estudos neurológicosdescobriram que a familiaridade estimula o cérebro esquerdo. Novidade estimula o cérebro direito. Precisamos de ideias do lado direito do cérebro para capturar a imaginação da Igreja e do mundo.

Fonte: Mark Batterson

Herói da Comunicação na Igreja: Martin Luther King Jr.

2013_01mlkarticle

“Uma das grandes tragédias da vida é que os homens raramente ultrapassam o abismo entre a prática e a profissão, entre fazer e dizer.”-Martin Luther King Jr.

Uma das maiores lições de Martin Luther King Jr. é que ele entrou em ação. Ele não se escondeu atrás de um púlpito. Ele fez algo.

–       Provocada pela posição de Rosa Parks contra as leis de Jim Crow, King liderou o boicote aos ônibus de Montgomery, 1955. Cerca de 90 líderes, incluindo King, foram indiciados durante o boicote, mas eles fizeram disso um ato de desafio. “Eu estava orgulhoso de meu crime”, disse King. “Foi o crime de juntar meu povo em um protesto não-violento contra a injustiça.”

–       No Domingo Sangrento, 7 de março, 1965, soldados do estado de Alabama atacaram manifestantes de direitos civis com bombas de gás lacrimogêneo, cassetetes e cavalos de carga, quando tentavam atravessar a ponte Edmund Pettus. King não estava presente naquela marcha, mas declarou: “Se eu tivesse alguma ideia de que as tropas estaduais usariam o tipo de brutalidade que usaram, eu teria me sentido obrigado a desistir de meus deveres da igreja para liderá-los.” Ele estava lá, dois dias depois de liderar uma marcha cerimonial e novamente duas semanas depois, quando a marcha recomeçou com a proteção de uma ordem judicial.

–       Em 1966, King e Ralph Abernathy mudaram-se para os subúrbios de Chicago para demonstrar seu apoio e empatia para com os pobres.Eles marcharam contra a segregação nas políticas de habitação e durante uma marcha foram recebidos por uma multidão zombando, jogando pedras, garrafas e rojões. King foi atingido na cabeça por uma pedra, um de 30 feridos. Sua resposta: “Eu tenho que fazer isso, me expor para expor este ódio”.

Mas agir nunca é fácil. King foi preso 29 vezes. Sua casa foi bombardeada. Sua vida foi ameaçada várias vezes, e ele acabou sendo assassinado.

Comunicar uma mensagem é uma coisa, mas apoiá-la com ação sempre é necessário. Nós não podemos chamar as pessoas a amar o próximo, enquanto nos sentamos sem fazer nada. A lição de Martin Luther King Jr. é que ele não apenas comunica a sua mensagem, mas ele trabalhou para concretizá-la. É o exemplo de sua vida e um desafio que ele colocou na porta da igreja:

“A igreja deve ser lembrada que não é o mestre ou o servo do Estado, mas sim a consciência do estado. Ela deve ser o guia e o crítico do Estado, e nunca a sua ferramenta. Se a igreja não recapturar seu zelo profético, ele vai se tornar um clube social irrelevante sem autoridade moral ou espiritual. Se a igreja não participar ativamente da luta pela paz e pela justiça econômica e racial, ela vai perder a lealdade de milhões e levar homens de todos os lugares a dizerem que atrofiou a sua vontade. Mas se a igreja vai libertar-se dos grilhões de um status quo mortal, e, recuperando a sua grande missão histórica, vai falar e agir sem medo e com insistência, em termos de justiça e de paz, que irá incendiar a imaginação da humanidade e colocar fogo as almas dos homens, imbuindo-os com um amor brilhante e ardente pela verdade, justiça e paz. Homens de longe e de perto conhecerão a igreja como um grande companheirismo de amor que fornece luz e pão para os viajantes solitários à meia-noite”.

Em sua “Carta da Prisão de Birmingham ” King expressou sua decepção com os cristãos moderados que condenaram a violência que eclodiu fora do Movimento dos Direitos Civis:

“Todos os muitos outros têm sido mais cautelosos do que corajosos e permaneceram em silêncio por trás da segurança anestesiante de vitrais”.

Que não sejamos nós.

 

Educomunicação – Ela pode mudar o ensino na sua igreja

12662

Educomunicação é a união da Educação com a Comunicação – mas isto você já deve ter percebido!

A questão é: Como ela funciona?

A ideia é utilizar tecnologias e linguagens das mídias para que as pessoas se expressem, aprendam e sejam transformadas. Mas ‘utilizar as tecnologias’ não significa apenas usar um vídeo durante sua aula na escola dominical, e sim estimular seus alunos a produzir um vídeo sobre o assunto dado.

Assim, na Educomunicação o processo de criação é mais importante do que o produto final, pois é nesta etapa que as transformações pessoais acontecem. E o meio que escolhemos para ilustrar um ensinamento não é o principal, mas sim como as pessoas envolvidas assimilam a informação.

Quando um grupo de alunos produzem uma mídia, trabalham em suas atitudes, comportamentos, valores e decisões considerando as relações uns com os outros e com o conteúdo aprendido na sala de aula/templo.

As possibilidades são imensas, mas aqui vão algumas dicas de mídias que seus alunos podem produzir em grupo:

  • Vídeos
  • Fotografias
  • Podcasts
  • Blogs
  • Redes sociais
  • Teatro

Você já fez algo parecido em sua igreja?

Tem outras ideias para uma aula criativa?

Autor(a): Joice Atique

Culto online: Por quê?

C

A igreja, como todos nós, anda um tanto quanto obcecada por tecnologias. Queremos receber o boletim no celular, ler o conteúdo do estudo no blog e ter todas as versões da bíblia em nosso tablet. Não me entenda mal, eu amo tudo isso! Mas vez ou outra é sempre bom fazer a pergunta: ‘Por quê?’.

Uma das modas que mais se espalha pelas igrejas hoje é o streaming ao vivo do culto. Pode ser uma igreja de 5 mil ou 50 membros, todas querem ter seus cultos transmitidos na web. Mas, por quê?

É fácil comparar a sua igreja a uma mega-igreja gringa e apontar tudo o que você acha que precisa ter para chegar ao mesmo nível tecnológico. Isso não é necessariamente errado, mas se você se concentrar no show que está sendo apresentado, pode esquecer o que é realmente importante.

A pergunta que toda igreja deve se fazer é: Como podemos ampliar o alcance de nossos cultos além das quatro paredes da igreja? Isto é o que o culto online tenta fazer. Fornecer uma maneira de se conectar com aqueles que não estão fisicamente presentes. É uma forma de responder ao chamado de Cristo “para ir e fazer discípulos de todas as nações.” Mas é UMA forma. Missões transculturais e envolvimento com o seu bairro ainda fazem parte do trabalho ;).

Então, a partir deste entendimento, como a sua igreja pode usar a tecnologia para compartilhar e experimentar Cristo além do templo?

Joice Atique

Comunicação na Igreja: Você não está sozinho!

laboratorio

Você trabalha com comunicação na igreja e se sente sozinho? Não tem ninguém para compartilhar suas ideias? Seus companheiros de profissão não entendem seus objetivos não comerciais… E os membros da sua igreja adoram comic sans?

Não se preocupe! Agora você tem o local ideal para receber feedback do seu trabalho – e sabemos que isso pode fazer toda a diferença!

A Church Marketing Sucks iniciou um grupo online para compartilhar e criticar materiais de marketing da igreja (Sim, é em inglês, mas nada que o google translate não dê jeito!). Este grupo está hospedado no Flickr e permite às pessoas compartilhar seus trabalhos, oferecer feedback e melhorar a comunicação da igreja. É o poder da web contribuindo mais uma vez para a nossa missão!

Além da participação de uma grande comunidade, também há a contribuição de um grupo altamente qualificado de profissionais e designers da igreja que frequentam o Laboratório oferecendo suas experiências e inspirações.

Então visite o grupo agora, e faça disso uma rotina 😉

Joice Atique

Chato x Divertido no mundo da comunicação

boring

 

Não importa o quão divertido e emocionante o seu trabalho possa ser. Às vezes, ele é chato. Na comunicação isto não é diferente!

Você se ofereceu para ajudar sua igreja na área de comunicação, todo animado com as perspectivas e cheio de planos! Mas a realidade tornou-se enfadonha e o seu interesse não resistiu ao desânimo. Há um atrito entre a diversão e o tédio.
Não vou compartilhar aqui estratégias, ou algo do tipo ‘cinco passos para combater o tédio’ – eu sei o quanto você gosta disto, mas simplesmente não posso fazer!

Mas vou dar um conselho: volte ao básico! Qualquer atividade criativa precisa ter um propósito, ou ela perderá o sentido. Volte para Deus. Volte para as pessoas. Volte aos livros e à arte que inspiram você. Como estamos continuamente nos enchendo de trabalho, só poderemos lutar contra o tédio se encararmos o chato com a atitude apropriada. Aí, talvez, ele não parece tão chato.

Algumas dicas podem te ajudar:

  • Assistir os cultos
  • Orar e estudar a Palavra de Deus
  • Discipular pessoas
  • Manter-se informado
  • Experimentar a arte

Steve Fogg disse: “Eu não relaciono a palavra ‘chato’ com o que faço. Se algo… é chato, mas informativa e passa a nossa mensagem… é lucro!”
E você? Como você está lidando com o tédio no seu trabalho?

Autor: Joice Atique (inspirado na série Fun x Boring)

%d blogueiros gostam disto: