Arquivo mensal: agosto 2012

Heróis do Sertão: um olhar para os pastores menos favorecidos do Nordeste.

Olhamos para o nordeste e nos deparamos com comunidades que vivem extremos sociais e ainda não foram alcançadas pelo evangelho. Nas cidades do sertão, encontramos um número reduzido de igrejas e carência de apoio àqueles que aceitaram o desafio desse campo missionário.

Os pastores menos favorecidos enfrentam, todos os dias, as dificuldades de um ministério com poucos recursos. Há falta de estruturas básicas, mas suas maiores necessidades são de visitas e encorajamento. Com suas atenções voltadas para esses líderes o Projeto de Encorajamento, PROEN, tem viajado todo o nordeste com a missão de encorajar e capacitar esses vocacionados, além de dar também apoio a suas famílias.

“Os pastores destas regiões de pequenas cidades são heróis. O lugar é difícil em todos os aspectos. O trabalho de conquistar e manter novos convertidos é árduo e desestimulante.” Explica o líder do projeto Pastor Junior Firmino.

O PROEN já alcançou várias cidades nordestinas levando palestras, treinamentos e recursos materiais. Segundo o Pastor Firmino o projeto quer focar em cidades pequenas, porém rodeadas por outras pequenas cidades, reunindo assim um maior número de líderes do mesmo entorno. Ele reconhece que Maranhão, Piauí e uma região no encontro dos estados do Rio Grande do Norte, Paraíba e Ceará são os lugares mais necessitados.

“A ideia é levar ânimo aos líderes para que estes possam transferir esse legado de alegria à igreja local, contagiando-os a levarem a mensagem das boas novas.” Afirma o Pastor Firmino.

O desafio é grande. A realidade de uma região até então esquecida bate à porta dos pastores que permanecem fiéis mesmo com uma formação precária. Resistem até, em alguns lugares do interior, à perseguição das igrejas. Por isso, o PROEN quer se dedicar cada vez mais aos líderes do sertão, levando ferramentas para o seu desenvolvimento integral.

Para alcançar esses objetivos, o Pastor Junior Firmino tem mobilizado pessoas e empresas e precisa cada vez mais de colaboradores. Qualquer pessoa pode apoiar esse ministério com ajuda material (livros de liderança, bíblias de estudo, roupas) e financeira. As igrejas também podem adotar essas pequenas cidades.

 

Contatos do missionário:

servodecristo@yahoo.com.br

Twitter:     Juniorfirmino2

Facebook:  PastorJuniorFirmino

Skype:       Juniorfirmino

Telefones:  (84) 96947464 (TIM) 8869 0334 (OI)

Ouça também o Podcast Sepal “ O desafio nordestino

Anúncios

Pastores Ocupados Podem Dizer Não a Mídia Social

Curt Richardson, CEO da OtterBox, fabricante de cases para dispositivos móveis, recentemente veio a público com a sua posição “apenas diga não” sobre mídias sociais. Para ele, pessoalmente, não há tempo suficiente para fazê-lo direito:

“Eu acredito que para ser um participante importante na mídia social, você deve realmente dedicar tempo.”

Numa época em que você tem que saltar em cada movimento tecnológico, a fim de ser relevante, é refrescante ouvir um CEO que diz ‘não’.

Este é um bom conselho para os pastores ocupados. Você não tem que estar o tempo todo twitando ou postando coisas no facebook. Você pode optar por sair.

Algumas lições dessa compreensão:

1.     Se você não pode fazê-lo bem, não faça. Fazer algo bem, exige um compromisso de tempo e energia. Você não pode apenas improvisar e esperar que seja incrível. Isso é verdade para um monte de coisas da vida e é definitivamente verdade com a mídia social. Se você não pode fazer um bom esforço, não desperdice sua energia. É melhor concentrar mais esforços em menos projetos e fazê-los dez vezes melhor.

2.     Saiba o que está perdendo. Não fique muito à frente de si mesmo, ocupação não é uma desculpa. Você precisa pesar os prós e os contras de estar nas mídias sociais. A mídia social pode personalizar pastores e torná-los mais acessíveis, não apenas para a sua congregação, mas para a sua comunidade. Sendo ainda mais acessível pode ser uma coisa assustadora, mas também pode oferecer grande valor, especialmente em termos de alcance. Se você vai dizer ‘não’ a mídia social, saiba o que está perdendo. Não deixe que “ocupado” seja uma desculpa fácil.

3.     Expectativas mais baixas. Se você está ocupado, mas ainda vê o potencial das mídias sociais, às vezes é melhor diminuir as expectativas. Em vez de ser um rock star da mídia social, talvez você será um observador silencioso. Nem todo mundo tem que postar 30 vezes por dia. Redefinindo as expectativas, você permite que a mídia social  trabalhe de uma forma que funcione para você. E isso é verdade para muitos dos esforços na comunicação. Talvez a sua igreja não pode fazer um site bom, mas você ainda precisa ter um. OK, baixar as expectativas. Em vez de fazer um grande site que nunca é atualizado, faça uma única página muito boa.

4.     Isso é pessoal, não comercial. Por fim, note que a escolha de Curt Richardson foi uma escolha pessoal, não uma escolha de negócios. OtterBox ainda usa mídias sociais. Sua igreja ainda pode precisar de uma presença nas mídias sociais, mesmo se você como um pastor decidir optar por sair. Se você vai fazer isso, você precisa para fazê-lo bem e diminuir as expectativas se for preciso. De todo jeito ira funcionar.

O que você acha? Vale a pena dizer ‘não’ as mídias sociais?

#chsocm: Igreja e Mídias Sociais

A mídia social na igreja. Todo mundo está twittando, atualizando suas páginas e grupos no Facebook. Mas existe um ponto ou uma estratégia para tudo isso? No ano passado,  um grupo de twiteiros se juntaram pois viram na igreja uma grande necessidade de estratégia para as mídias sociais.

Meredith Gould começou a #chsocm chat (mídia social da igreja,  que se pronuncia “ch-sock-em”) pouco mais de um ano atrás depois de conversar com pessoas que haviam notado a mesma coisa: a igreja não está usando a mídia social, especialmente não estrategicamente.  Assim, a conta @chsocm nasceu e tem tido chats semanais no twitter desde então. Meredith é uma mulher deliciosamente mal-humorada que, juntamente com algumas poucas pessoas, modera os bate-papos via Twitter  toda terça-feira para discutir três temas por semana. Cada bate-papo começa e termina com uma oração pedindo a Deus para uni-los como uma comunidade, dando graças por todas as oportunidades para revelar sua presença e pedindo orientação, em sua discussão.

Não se trata de números

 É claro que os principais participantes da #chsocm são incrivelmente apaixonados por ver as mídias sociais utilizadas estrategicamente e não com uma mentalidade ‘gulosa’. “Não é um jogo de números”, disse Meredith. “Nós não estamos necessariamente interessados ​​em quantos seguidores você acumula. Eu vejo as mídias sociais como uma poderosa forma de cumprir a grande comissão. Estas ferramentas permitem-nos comunicar uns com os outros de forma radical e revolucionária. ”

Precisamos desenvolver o que Meredith chama de “embaixadores da marca.” Pastores precisam entender que ha muito mais valor em encorajar a congregação a estar envolvida com a mídia social, falar com sua igreja como indivíduo,  do que  simplismente postar sermões e divulgar links para eles.

Obter Ajuda

Enquanto pastores e líderes leigos precisa de ajuda para acelerar, Meredith observa um número alarmante de pessoas revendendo seus serviços para igrejas desesperados por ajuda com as comunicações. “As igrejas estão perdendo membros e entrando em pânico. Eles vêem as pessoas que utilizam as mídias sociais, mas não sabem o que fazer. Eu acho que nós precisamos entender que a comunicação da igreja é também um ministério”, diz ela.

Felizmente é exatamente o que o chat #chsocm visa solucionar. A cada semana, twiteiros  se reúnem para discutir os temas que estão na agenda e mergulhar na discussão. Os temas vão desde ferramentas de mídia social, os códigos QR, Pinterest, Facebook, construção de comunidades, adoração, políticas de mídia social e muito, muito mais. Meredith diz que tem o prazer de ver um pouco do que tem se desdobrado através do chat #chsocm. “Você nunca irá obter a mistura de pessoas faca-a-face que temos online. Tem sido ótimo ver a generosidade de todos e bom humor. ”

 Seja Estratégico

Se tem uma coisa que eu aprendi a partir de minha conversa com Meredith, é a garantia de que o uso das mídias sociais para a igreja deve ser estratégica. Se queremos realizar algo, então temos de ser intencionais e estratégicos. Meredith chega a dizer que algumas igrejas deveriam parar de usar todos os canais de mídia social até que eles possam desenvolver um sistema integrado de estratégia de mídia social (ou uma estratégia de comunicação como um todo).

Meredith ainda acredita que a maior barreira  que as igrejas estão enfrentando é o “um-dia-chegaremos-lá” website.

“Arrumar o site da sua igreja é prioridade número 1”, diz Meredith. “Pense nele como um portal. Deve ser acolhedor, mas os visitantes também estão acessando outros lugares, como um grupo no Facebook”. Em seguida, ela incentiva as igrejas a atualizar suas páginas no Facebook. “É o registro histórico de sua igreja”, diz Meredith. “Ter alguém para limpar um armário e digitalizar todas as fotos antigas e colocá-las em seu timeline do Facebook”, isso permitiria ás pessoas acesso fácil a maravilhosa história de sua igreja em qualquer lugar.

Finalmente, direcione as pessoas para lugares mais escpecíficos como um grupo do facebook ou um blog pessoal , onde as pessoas possam ser ouvidas e atendidas.

Herói da comunicação da igreja: Rembrandt

“Sem atmosfera uma pintura não é nada.”- Rembrandt

Realçando a beleza no ordinário. Esse foi ponto de partida de Rembrandt como um artista conhecido por abordar o seu trabalho com paixão e trazendo vida para as cenas mais comuns, com grande detalhe.

Como? Através da observação. Rembrandt, um pintor holandês do sec.17, estudou o mundo à sua volta, tomando tempo para vê-lo e mergulhar nos detalhes, em seguida, pintava o que via. Eu diria, o que ele sentia. Era a vida real,  ele experimentava e colocava em tela.

Eu acho que como comunicadores na igreja há uma importante lição nisto para nós: Não conte apenas os fatos, conte a história. Pinturas de Rembrandt tornaram-se famosas devido à sua consideração exclusiva do contexto que cerca o indivíduo. Contexto conta uma história e Rembrandt entendeu o poder da história em suas pinturas.

O mesmo é presente nas pinturas de Rembrandt de cenas bíblicas. Ele não produziu imagens de clip art da Escola Dominical. Em vez disso, ele contou a história tendo em conta o seu contexto e colocando na tela.

Enquanto nós nos esforçamos para comunicar a história de nossas igrejas individualmente, bem como a história do evangelho, eu penso que nós vamos descobrir que os dois se cruzam mais intensamente quando vamos além do conteúdo e exploramos o contexto. Sem ela, estamos eventualmente com uma grande quantidade de informação que tem pouco coração, porque não está ancorada em experiências da vida real.
Rembrandt usava um pincel e tela para contar histórias do mágico no ordinário, histórias que ele descobriu no contexto. Eu uso as palavras para pintar as minhas imagens, mas estou ainda desafiado a investir no contexto que sou chamado. Como comunicador minha tarefa é contar as histórias que eu descobri com paixão e detalhe; detalhe que aponta para um Deus nada ordinário. Porque abaixo da superfície, no contexto de vida, descobrimos o milagre. Descobrimos onde a minha história, a sua história e a nossa história são escritas na história.

Fonte: Church Marketing Sucks

Dicas para blogar

dicas para blogar

Performance. Quando você bloga, cria um podcast ou grava um vídeo, é sua oportunidade de se conectar com sua audiência e entregar algo de valor. Tudo bem usar essas ferramentas para conversar, mas pense em sua audiência. Pense no pouco tempo que eles têm em um dia. Pense nos lugares onde eles passarão seu tempo.

Seja breve

Pode falar mais depressa? Faça isso.

Invoque a autoconsciência

Você pode contar uma história? A história ajudará sua audiência a pensar sobre si mesma? Suas  palavras despertarão suas mentes?

Esteja preparado

Não é pressão escrever bons posts. Não é difícil inventar tópicos para o seu podcast. É sua escolha, como produtor de bom conteúdo. Pense com antecedência. Mantenha um bloco de anotações e anote as ideias para usar depois, quando estiver sem nenhuma. Guarde algumas cartas na manga para quando precisar.

Seja respeitoso

Sua audiência é brilhante. Você, às vezes, sabe de algo que eles não sabem. Mas trate-os como sendo brilhantes e peritos, como se você estivesse somente compartilhando a informação, caso eles queiram refrescar a memória. Você não é um deus, você é apenas um comunicador.

Converse (mas seja sucinto)

Converse como se estivesse se dirigindo a humanos. Escrevo como se você e eu estivéssemos conversando. Mas tento ser sucinto. Não fico aflito. Pratico postando uma vez ou duas por dia. Você pode fazer o mesmo.

Performance

Você está em um palco. Está criando histórias. Não importa como você encara o ato de blogar e criar podcasts, pois é isso que você está fazendo. Quando você preparar a próxima apresentação de PowerPoint para uma reunião, pense sobre isso também. É a mesma coisa apresentada de maneiras diferentes.

Que conselhos e dicas você daria? Como você trata sua audiência? Quando funcionou melhor melhor para você?

 

Autor: Chris Brogan

%d blogueiros gostam disto: