Herói da comunicação na igreja: C.S. Lewis

Proavelmente não estou sozinho quando digo que comecei a ler C.S. Lewis na faculdade. Os professores eram brilhantes, e os livros que nos passavam para ler eram difíceis mas fascinantes. Estava aprendendo sobre Platô e o desenvolvimento do cérebro humano. Todo dia saia da aula me sentindo revigorado, no topo do mundo…
Enquanto isso, a igreja era uma chatice. Eu ia aos cultos sozinho, as músicas eram chatas e o nosso pastor só pregava sobre os mesmos assuntos.
C.S. Lewis foi quem me deu permissão para pensar sobre a minha crença. Para fazer perguntas, para questionar o que toda a beleza,verdade e bondade do mundo tinha a ver comigo e com Deus. Lewis escreveu apologéticas, poesias, crônicas sobre criaturas mágicas, cartas para amigos queridos, uma autobiografia e muito mais, todas para desafiar e aumentar a fé.

Outras Crenças

Eu me perguntava o que deveria pensar a respeito das outras religiões do mundo, e ele escreveu, “se você é um cristão você não precisa acreditar que as outras religiões são simplismente erradas”. Ufa, pensei. Que alivio!
“Mas é claro,” ele continuou, “ser um cristão significa pensar que onde o cristianismo difere das outras religiões,  cristianismo está correto e as outras estão errados.” Oh, suspirei, terei de pensar sobre isso…

Abrangendo a Humanidade

Nos dias em que eu gostava de fazer exercícios ou sair para jantar com meus amigos mais do que ler minha Bíblia, Lewis era um conforto para mim.”Nossa carne é tão ruim assim?” Eu me perguntava.
“Cristianismo” escreveu Lewis, ”é quase a única  religião, entre as grandes religiões, que aprova completamente o corpo – que acredita que a matéria é boa, que o próprio Deus tomou uma forma humana…”

Lidando com o luto

Quando passei por um luto, Lewis agonizou comigo: “É difícil ter paciência com pessoas que dizem que não existe morte ou que a morte não tem importância. A morte existe e é importante. E o que acontece tem conseqüências, sendo isso irreversível. É o mesmo que dizer que o nascimento não tem importância”.
Por que C.S. Lewis é um herói da Comunicação?
Era tudo muito profundo, mas também muito sensato. Lewis não estava chocado ou ofendido com minha perguntas. Ele me levou até elas, falou com autoridade e me deu algo para pensar a respeito.
Existem pessoas em nossos bancos que estão entediadas. Que têm perguntas. Não necessariamente pensam que o que o cristianismo oferece é errado ou ruim. Mas nada na igreja, que deve ser o centro da fé, comunica a eles. Talvez sejam artistas e todos os gráficos que usamos sejam feios. Talvez sejam intelectuais, e existam erros de digitação em nosso boletins.
Eles podem querer saber o que a Bíblia tem a dizer, mas nossos pastores estão pregando apenas mensagens bonitinhas e carinhosas.
Qual a historia da sua igreja? Você esta fazendo as perguntas difíceis e fazendo sua congregação pensar? Ou você esta transmitindo um evangelho superficial?
C.S. Lewis foi um ateu por 32 ano até encontrar sua crença. Ele começou amizade com cristãos amorosos, inteligentes e interessantes que separaram um tempo para contar a historia do cristianismo para Lewis de uma maneira linda. Através da amizade. Da poesia. Através de profundas e significantes conversas, comidas, vinhos, livros e outras coisas. E então Lewis fez o mesmo para várias outras pessoas, como eu.
Fonte: Church Marketing Sucks

Anúncios

Publicado em março 22, 2012, em Comunicação na Igreja e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: